Robarm XCR-L (WIP)

5 01 2011

Seguindo nesse ritmo de modelagem de armas, anuncio um novo projeto. Dessa vez um fuzil, não muito conhecido, o XCR-L da Robinson Armament Corp.

 

Abaixo segue algumas imagens do processo de criação no seu estágio muito inicial. Pessoas, aceito sugestões e críticas!!

 

XCR-L (5,56mm)

Robarm XCR-L real

XCR-L 5.56mm

XCR-L 5.56mm

XCR-L 5.56mm

a

 

Anúncios




Cheytac Intervention M200 [Update II]

5 01 2011
Aqui vai um print de como está o (longo) processo de mapeamento do rifle. Estou no estágio final, faltando apenas alguns detalhes e o apontador laser AN-PEQ2.
——————————————————————>>
Atualizando o post com novas imagens do rifle sniper Cheytac já em seu estado final de modelagem. Com ajuda do digníssimo e competente amigo Carlos Fernando, que modelou a coronha com excelência.
Cheytac M200 (FINAL)

Cheytac M200 (FINAL)

Agora partindo para o trabalhoso processo de texturização. Talvez isso demore mais um pouco, por ser um trabalho complexo demaaaaais e confesso que não estou muito habituado a texturizar, então vai ser um ótimo exercício de aprendizado!
——————————————————————>>
Saaaalve amiguinhos!!
Cá estou eu, depois de anos sem postar alguma novidade ou dar qualquer sinal de vida. Muito trabalho, academia,… e um pouco de preguiça, sabe como é né? rs
Falar em ano, ainda não é tarde pra desejar um próspero e feliz 2011 para todos!
Bom, dessa vez eu venho com um projeto novo. Um rifle sniper de longo alcance.
Me refiro ao Cheytac Intervention M200 de calibre .408 (intermediário entre o .338 Lapua e o .50 BMG). Este equipado com um apontador laser infra-red AN-PEQ2. Em outras tentativas, coloquei também uma luneta de visão noturna e silenciador mas ficou muita papagaiada e o polycout aumento substancialmente! Quem sabe mais pra frente eu disponibilizo imagens com esses equipamentos.
Certamente se você gosta de filmes e jogos de guerra, já deve tê-lo presenciado no filme “Atirador de Elite” estrelando Mark Wahlberg ou no renomado game “Call of Duty: Modern Warfare 2″.
Cheytac in MW2

Cheytac Intervervention no game Modern Warfare 2

Cheytac in movie

Cheytac Intervention no filme Shooter

Na verdade ainda está sendo um WIP. A parte da modelagem está 95% finalizada, faltando apenas a coronha (que certamente é o trecho mais complicadinho de se fazer por ser muito orgâncio). Falta a árdua tarefa de texturizar e que eu prometo que vou tentar finalizar mesmo diante de muitos empecilhos.
A seguir segue prints do modelo em wireframe sem subdivisão (lê-se mesh smooth), a seguir com wireframe subdividido e por final sem wire. Note que é um modelo muito detalhado em super-extra-mega-hi-poly e a contagem de polys ultrapassou a margem dos 700 mil (meshsmooth iteration: 2). Feito no 3DS Max 2010.
Aprecie, critique, comente =)
Cheytac Intervention M200

Cheytac Intervention M200 (wire no mesh)

Cheytac Intervention M200

Cheytac Intervention M200 (wire + mesh)

Cheytac Intervention M200

Cheytac Intervention M200 (mesh)





iPhone 4

18 07 2010

Mais uma tentativa frustrada de HSM (Hard Surface Modelling ou Modelagem inorgânica) e DOF.

Na verdade creio que a modelagem ficou regular, mas eu odiei a texturização e o redner. A princípio não ficou nada legal o render, mas um grande amigo e ex-colega de trabalho, Eduardo, deu uma valorizada e MUITO no Photoshop.

Apresento-lhe o iPhone 4G com fones com efeito DOF (depth of field). O objetivo foi exatamente esse: focar nos gfones caídos, porém com a presença imponente do iPhone ao fundo. Em breve estarei disponibilizando a imagem do iPhone sem DOF e mais nítida.

Modelado com 3DS Max 2010 + Renderizado e texturizado com Vray

iPhone 4 (3D)

iPhone 4G





Introdução ao RayFire com Physx

3 04 2010

Mais uma matéria de estudo de partículas. Desta vez com o renomado RayFire, utilizado em várias produções cinematográficas como Matrix, Exterminador do Futuro, entre outros…

Aproveitei esse feriado pra pôr a mão na massa (ou melhor, nas partículas) e ficar mais antenado com esse material. Antes foi o Real Flow (que está querendo ser substituído pelo Glu3D no meu PC hehe) e agora o Ray Fire que certamente é a melhor opção – fácil, intuitivo e com suporte ao reactor padrão do 3DS Max e à incrível engine da nVidia, o Physx!

Acabei fazendo uma gracinha com essa caneca que eu tinha há tempos atrás, quando fiz o material gráfico pro evento universitário Café com Idéias. O resultado não é dos melhores e não chega nem perto do que o RayFire é capaz de fazer de verdade, mas dá pra se ter uma idéia do que essa poderosa ferramenta é capaz de fazer.

Blow! By Rafa

O que é notável logo nas configurações do programa, é que ele usa um tipo de script de Pro-boolean que fatia o objeto todo em fragmentos. Embora eu odeie essa ferramenta que ferra com a malha toda, o RayFire consegue facilmente manter a aparência do objeto e das faces e ainda assim fatiando pequeninos pedaços, até mesmo no interior dela.

Renderizado com V-ray. Enviroment e Reflection/Refraction maps com HDRI e dois vray light planes no alto com intensidade bem sutil, só pra suavizar as sombras a custo de render mais rápido (as sombras geradas pelo HDRI ficam manchadas e pra isso, teria de “chumbar” alguns elementos do irradiance map e assim, aumentando o tempo de render).

Pós-produzido no photoshop adicionando a camada de Ambient Occlusion.





Estudo de Realflow [updated]

30 03 2010

Conquistei tempo e me livrei da preguiça. Não sei como.

O que sei é que RealFlow é muito bacana, poderoso e até que fácil (?).

Ao longo, eu vou vou inserindo novos posts relacionados a partículas e fluídos com real flow e quem sabe outros …

Obs: post editado e atualizado com uma nova imagem, beeeeem melhor. A anterior o leite parecia mais gesso em estado líquido haha

Simulando leite com Real Flow 4





De volta à ativa!

27 03 2010

Depois de muito tempo parado com estudos e trabalhos 3D, venho com uma novidade.

Esta cena foi feita em algumas poucas horas a fim de estudo de iluminação, GI e materiais Vray. Nada demais.

Nesta cena há Vray planes nas janelas com multipliers bem baixos, reforçando a entrada de luz externa e outro azul bem clarinho na televisão com Affect diffuse & specular ativados para afetar o tecido de couro da poltrona. Há também outro vray plane na parte de trás da cadeira (à esquerda da tela) indicando que o ambiente é mais espaçoso onde não dá pra ver na câmera e além, claro, do direct light com um tom bem avermelhado e area shadow ativado pra borrar as sombras. A intenção realmente era essa, de dar um clima de fim de tarde à cena.

Foi inserido também uma imagem HDR no slot “reflection” e configuração médio-alta do V-Ray.

Pós-produzido sutilmente no Photoshop adicionando ambient oclussion e algumas melhorias como brilho, curvas, saturação, etc… 

Lógico que há muito a melhorar …Daqui em diante terá mais material desta natureza no blog rsrsrs

Evening @ Lake





A inspiração

21 02 2010

O que não falta para nós, designers, é sede por inspiração e

Você sendo um cético pode até negar, mas por dentro sabe que eu falo a verdade.

O motivo desse post de hoje é um vídeo de animação 3D que dura cerca de 12 minutos e que me maravilharam tanto. Tanto a ponto de num domingo, dia de folga, eu parar para atualizar meu blog com o conteúdo que nem sequer tem minha participação em sua produção. Mas valeu cada segundo, cada fração de segundo. Isso sim é inspiração…

O vídeo em questão foi me apresentado pelo meu professor/mentor Fábio Forti explicando qual seria o conteúdo programático de uma determinada disciplina na faculdade. Engraçado que ele me sugeriu “ignorar” a qualidade e me atentar à movimentação da câmera. Parecia ser irônico.

O resultado disso é minha total fixação por essa animação que eu julgo ser a mais realista e cativante que já vi em toda minha vida! Nunca uma animação 3D conseguiu me deixar em tamanha dúvida quanto ao que é realidade e o que é virtual.

A animação chamada de “The Third & The Seventh” (traduzindo: O Terceiro e o Sétimo) exibe dezenas de cenas de arquitetura e paisagismo. E detalhe: todas em 3D! O vídeo é comovente, intrigante, realista e até defino como surreal em determinados momentos. A trilha sonora parece que foi orquestrada especificamente pra essa animação, conseguindo traduzir todo o sentimento da obra.

Na verdade, é isso mesmo.  Mais que uma simples animação em 3D. Uma obra de arte! Uma INSPIRAÇÃO.

Parabéns ao designer Alex Roman que fez TUDO sozinho – desde a modelage, texturização, iluminação, render até a pós-produção e edição final!

VEJA O VÍDEO

 

*Não pude postar o vídeo aqui por que  o digníssimo wordpress não dá suporte a videos do Vimeo.